segunda-feira, julho 02, 2007

pelas ladeiras
descem poesias

chuva e lembranças
escoando a infância do velho palhaço que desistiu do picadeiro

[existe um abandono próprio àqueles que insistem em sonhar]

é com o sol poente que despertam estrelas

é no silêncio azul que guardamos nossas tristezas

é no sorriso trôpego que resistimos ao penar
é escondido em mim mesmo

que de vermelho pinto o nariz

dou piruetas
invento cambalhotas e tropeço no destino

brincando de ser feliz
como o palhaço criança
um dia soube brincar


imagem de chirico

3 comentários:

cm disse...

...o sorriso que brinca no fundo do espelho...solto da imagem séria que o gera...obrigado pela partilha dessas memorias...um abraço

Fernanda Passos disse...

lindo! triste daquele que não sabe pintar o nariz de vermelho ebrinca como uma criança.
bjs.

Fernanda Passos disse...

Vim retribuir a visita. ah, aprovei o comentário.hehehe. E aparece com mais calma. Tu podes me ensinar muito. Quero ouvir o que tens a dizer sobre o que escrevo. Sou amadora nessa arte.
bjs.