sábado, março 28, 2009

imagem de carrie ann baade
.
não se misturavam

o azul do choro contido

o purpúreo das nuvens poentes

o amarelecer das cirandas sem crianças pra girar

aos olhos turvos e frios do homem de palha

porque suas mãos aprenderam a traçar planos

deixando a felicidade sem ter com quem brincar

4 comentários:

ลndreia disse...

Cada um, na sua essência, formando pequenos detalhes da vida. *

CeciLia disse...

ah, meu querido, como entendo este teu homem de palha que nao se mistura aas cores, como entendo!

abraco de admiracao mutua

CeciLia
(sem teclado configurado, sorry)

Luciana Marinho disse...

"deixando a felicidade sem ter com quem brincar". minha infância encontrou uma companhia agora... lindo poema. linda imagem.

Valéria disse...

isso da felicidade não ter com quem brincar me fez pensar o quanto somos pouco sedutores à felicidade e aí me pego numa frase que está muitas vezes na minha cabeça: "A gente não sabe nunca ao certo onde colocar o desejo"...
beijo