domingo, março 04, 2007


recolhi os carrinhos de plástico
os soldadinhos do forte-apache
guardei-os no cesto de brinquedos
pra não brincá-los mais
naquela que foi a última manhã

na qual soube de mim, criança
imagem de alejandro asencio

6 comentários:

adelaide amorim disse...

e um dia você
olha pra trás
e se vê
cercado de soldadinhos
junto ao cesto
dos brinquedos

ediney disse...

O poema mais lindo que está tarde tive o prazer de ler.Minha infância, minha infância quase perdida

Elcio disse...

Bem pontual essa reflexao!
Me vi menino, adolecente e adulto...kd akele menino?
rss
Vida q segue.

Em tempo, adorei os cheiros de Belem, qdo estive ai pela primeira vez ano passado.

É isso ai.
[ ]´s e boa semana.

Elcio disse...

Bem pontual essa reflexao!
Me vi menino, adolecente e adulto...kd akele menino?
rss
Vida q segue.

Em tempo, adorei os cheiros de Belem, qdo estive ai pela primeira vez ano passado.

É isso ai.
[ ]´s e boa semana.

Lidiane disse...

Douglas.
Eu me perco em seus blogs de tanta novidade sempre.
O meu eu criança agradece.
A minha pele em poesia, idem.

Fernanda Passos disse...

É....sempre guardamos um pouco daquilo de tínhamos quando éramos crianças. E isso é muito bom.
Lindíssima tua reflexão.