domingo, fevereiro 18, 2007


belém
fim de tarde
relâmpago anunciando
CHUVA
logo mais as ruas estarão desertas
e nas praças desabrigadas de cantigas
enxugarei a saudade do menino
perdido na lonjura do meu peito

2 comentários:

Sol disse...

ah quanta saudade...
havia um sorriso
já acinzentado
havia cachos negros
molhados de chuva
pequenos prismas
e milhares de desbotados arco-íris
as cores
ainda insistiam
cores sem medo
cores de dedos
mãos e pés
hoje o sol pergunta
os prismas amarelaram?
a noite escondeu o branco?
saudade...

diovvani mendonça disse...

Eh, a saudade é um bicho nos cafundós da gente. Abraço.