sexta-feira, novembro 14, 2008


o anoitecer era miúdo

e pirilampeava aos nossos olhos

todas as vezes que a vovó

contava estórias de assombração

sentada em sua cadeira de embalo

no corredor da velha casa do outeiro

desaparecida em meio aos escombros

dos meninos que fomos um dia



3 comentários:

Mulher na Janela disse...

que coisa mais bela, menina!
li aos balanços!

beijos...

Iara

Theo G. Alves disse...

é a natureza mágica das avós.

abraço

Benny Franklin disse...

Cara, muito bom! Beat de Mais.
Abçs.