quarta-feira, outubro 11, 2006



redon
pintou o nariz
vermelho: a cor
felicidade não veio
cinzas demais na ilusão do poeta

4 comentários:

Sol disse...

Que pena!!! Quando a cor felicidade chegou ele estava de olhos fechados pensando nos cinzas. Ei Poeta! Abra os olhos! Ainda há tempo de ver a cor felicidade.

Saramar disse...

Que triste poeta!
Saia ao sol, à chuva, lave-se dessas cinzas com outras cores.

Maravilhoso poema, daqueles de ficar lendo indefinidamente.

beijos

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!
Gostei.

Lidiane disse...

Que tela mais linda do mundo!
Fez muito bem ao também ótimo texto.

Beijo.